Postado em 01 de Junho de 2017 às

Comercialização pecuária segue cautelosa em razão de insegurança nacional.

CleanTec do Brasil De acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Piracicaba/SP), a comercialização segue lenta no mercado pecuário em razão da cautela dos...

De acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Piracicaba/SP), a comercialização segue lenta no mercado pecuário em razão da cautela dos agentes em relação aos cenários político e econômico do Brasil. Os dados apontam que os pecuaristas têm optado por vender apenas o necessário, a fim de evitar exercer maior pressão sobre o mercado.
Por sua vez, os frigoríficos que têm participado de maneira mais ativa do mercado também evitam alongar as escalas. O motivo é que a crença de que, com o passar do tempo, os preços do mercado bovino possam ceder ainda mais. Leia mais...

Veja também

Fechamento de unidades e desemprego adiantados ameaçam frigoríficos.20/07/16 urgindo antes da hora, o fechamento de unidades frigoríficas e o desemprego preocupam a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo, Curitiba/PR). O presidente da associação, Péricles Salazar, acredita que uma crise “sem precedentes” ameaça atingir a indústria brasileira em razão disso. “A crise conjuga três fatores......
Brasil volta a exportar carne suína in natura para África do Sul.13/01/17 O Brasil vai retomar as exportações de carne suína in natura para venda livre (no varejo) para a África do Sul. O departamento de Negociações Não Tarifárias do Ministério da Agricultura,......
SUPER FRANGO é o destaque da Globo Rural de dezembro07/12/15 A edição de dezembro da Revista Globo Rural chega às bancas com uma matéria sobre o super frango. Projetado para ser um campeão de vendas, ele tem uma equação perfeita: pouca ração, mais peso e......

Voltar para Notícias