Postado em 28 de Setembro de 2016 às 09h27

Retomada de comércio entre China e EUA estimula produção brasileira.

CleanTec do Brasil Com a retomada das compras da China da carne bovina produzida nos Estados Unidos, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec, São Paulo/SP), Antônio...

Com a retomada das compras da China da carne bovina produzida nos Estados Unidos, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec, São Paulo/SP), Antônio Jorge Camardelli, acredita que haverá um “estímulo” à produção da proteína no Brasil.
Segundo Camardelli, os EUA são um tradicional fornecedor de carne com maior valor agregado, nicho do qual o Brasil ainda tem pouca produção e participação no mercado global. Sendo assim, o consumo da proteína chinesa pelos norte-americanos não traz riscos de perda de participação, podendo, ao contrário, funcionar como um estímulo para que a produção brasileira avance em busca de melhor rentabilidade.
“Precisamos parar de falar de produzir boi e começar a produzir carne. No processo da nossa curta permanência na China, vimos que precisamos trabalhar mais na área gourmet, com carne ingrediente”, pontua o presidente. Leia mais...

Veja também

Rede conecta produtores, startups e investidores a favor da produtividade.01/11/16 Em busca de soluções que fossem capazes de resolver de vez os gargalos do campo, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) foram até o vale do Silício e, junto a outras experiências, criaram o Agrihub. A ferramenta......

Voltar para Notícias